O que é?

A hipnose é um recurso auxiliar de trabalho psicológico validado pelo Conselho Federal de Psicologia desde 1971 e deve ser utilizado apenas pelo Psicólogo que possa comprovar capacitação adequada, de acordo com o disposto na alínea "a" do artigo 1º do Código de Ética Profissional do Psicólogo.

É importante salientar que a hipnose é um estado de consciência, não de inconsciência ou sono. O estado hipnótico é essencialmente um fenômeno psicológico, que não tem relação com o sono fisiológico, e depende completamente da total cooperação entre o hipnoterapeuta e o sujeito. (Milton Erickson, 1941, p. 14).

O estado de transe hipnótico pode ser leve, médio ou profundo. O transe leve acontece naturalmente, várias vezes ao dia, quando por exemplo dirigimos sem    

pensar no trajeto ou assistimos à tv. As psicoterapias se beneficiam de transes leves e médios enquanto os odontólogos utilizam o transe profundo para sedar.

Como esta técnica pode ajudar?

 A hipnose ericksoniana é uma comunicação não linear que objetiva a transformação de processos inconscientes. Milton Erickson deixou como legado a reinvenção da hipnose clássica, ensinando estratégias de transformação da percepção humana, que  permitem aprendizados profundos e a desconstrução de crenças limitantes.

 

A principal premissa da abordagem ericsoniana é a de que a cura é um processo resultante da interação humana, vindo do individuo, sem metas e definições prévias. Para Erickson, todos possuem os recursos necessários para a resolução de seus conflitos. A hipnose deverá ser aplicada preferencialmente de forma presencial, permitindo ao terapeuta aprofundar o transe, de forma que possa melhor acolher as demandas reativas do paciente.

A minha sessão com Verônica será basicamente uma sessão de hipnose?

Não. A hipnose é apenas um recurso auxiliar, que pode ser usado pelo Psicólogo devidamente habilitado. Em alguns casos, no entanto, quando paciente e terapeuta estiverem de acordo, o transe poderá durar a maior parte da sessão. Vale ressaltar que um bom trabalho psicoterapêutico também poderá ser desenvolvido sem o emprego da hipnose.